Movimento Esperança Portugal

logofull.png 

Hoje perco a minha independência e com ela o conforto e o gozo da distância com que a maioria dos bloggers comenta o surgimento do MEP. Uma vitória já foi conseguida: o MEP agitou as águas. No meio de tanta opinião (quase todos os blogs) que se pode ler até agora, salta à vista a incoerência e ligeireza com que se pode escrever sem conhecer primeiro as razões e os fundamentos de projectos como este. Gostava que aqueles que rapidamente reagiram cheios de cepticismo se lembrassem daquilo que têm escrito sobre a necessidade de dignificar a política e de aproximar dela os cidadãos comuns…

Tiro o meu chapéu à Carmex, para com quem tenho uma enorme dívida em relacção a este tema, porque foi mais sensata do que muitos e cautelosa na abordagem a um tema que não conhece ainda. Mas a minha medalha de ouro vai para o Rui Cerdeira Branco pela coerência com que acolheu e comentou a notícia.

Aqui podem saber um pouco mais sobre o MEP para além dos primeiros títulos de ontem. Durante os próximos meses (se me sobrar tempo) irei escrever aqui muita informação sobre o MEP. Para já, se quiserem fazer parte desta construção, podem deixar comentários manifestando o interesse e deixando o contacto caso se queiram juntar, assistir a uma das muitas sessões de apresentação ou simplesmente contribuir com a vossa assinatura.

Esta entrada foi publicada em Vitaminas. ligação permanente.

10 respostas a Movimento Esperança Portugal

  1. ricardo silva diz:

    novas propostas politicas são sempre válidas.

  2. Pingback: Adufe 4.0 | Movimento Esperança Portugal: próximo do Guiness

  3. sou 1º sarguento na reserva, quase 50 anos
    posso fazer parte do vosso movimento já que não me reveijo nas politicas actuais.
    um abraço e muita força Esperança Portugal

  4. Alexandre Silva diz:

    Estou interessado em subscrever a criação deste Movimento.

    Podem-me dar alguma pista ?

  5. Milhafre diz:

    Todos nos lembramos do Lusitânia Expresso e do que essa iniciativa representou para o nosso país. Foi uma atitude que mostrou ao mundo, porque temos 9 séculos de história. Façam rapidamente o movimento chegar aos Açores e à Madeira.

  6. J A F P diz:

    Eu segui o link para poder saber mais e o que me ficou foi que um partido entre PS e PSD nunca pode ser centro, visto o PS há já muito tender para a direiota.
    Pergunto: o que é o MEP?
    Eu sou contra a lamúria! Eu sou a favor do construtivismo! Será que eu sou o MEP personalizado?!…
    Um partido que diz querer construir sobre ruínas dsconhece o sistema de construção. O que é preciso são novos alicerces e para isso têm que ser derrubados os existentes.
    Esclareçam-me!

  7. hirudoid diz:

    Interessados comentadores, responderei pessoalmente por email, mas podem entretanto visitar e divulgar o novíssimo site do MEP:

    http://www.mep.pt

  8. joão melo diz:

    então boa sorte nesta aventura politica!!

  9. Eu gostaria muito de saber de facto alguma coisa mais concreta sobre o MEP. Ideário? Inscrições? Como me aproximar? uma vez que considero importante a participação cívica e sinto falta dela pode ser um projecto que me entusiasme. Ainda por cima porque a maioria dos ditos movimentos independentes mais não são que movimentos dissidentes.
    Se alguém me puder ajudar nesta procura…

  10. Impakt diz:

    Movimento para o Aperfeiçoamento da Democracia

    Democracia quer dizer “o poder com o povo”. Se assim é, o pilar da democracia são as pessoas, não são os partidos.
    O sistema democratico deve evoluir para uma fase mais próxima dos cidadãos, uma vez que os partidos formatam as opções das pessoas, atrapalhando.
    Sendo assim, os partidos políticos devem ser afastados para dar lugar às pessoas. Mas como?
    Que haja um movimento de cidadãos para que se altere este estado de coisas de acordo com as seguintes ideias, para começar:
    – os partidos políticos deixam de se apresentar a eleições com candidatos, continuando a existir como repositório, ensaio, arquivo e consciência política;
    – os deputados à AR passam a ser eleitos por municípios, nascidos lá, ou, sendo nascido no estrangeiro, vivam naquele município há mais de 10 anos e não podem ser ou ter sido filiados em partidos;
    – os deputados são representantes de listas de movimentos de cidadãos criados para aquelas eleições legislativas e/ou locais, sendo extintos junto da CNE após a votação e apuramento dos resultados;
    – os movimentos de cidadãos e os partidos políticos só podem ser financiados por privados;
    – fim da disciplina de voto na AR;
    – O Governo passa a ser eleito a partir de equipas que se candidatam, compastas de técnicos, gestores, etc … onde nenhum dos seus membros pode ser ou foi filiado em partidos políticos e/ou movimentos de cidadaos;

    Gostou? Participe: impakt@netcabo.pt

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s