An uneventful life

Prometi aqui há uns bons meses que vos revelaria os segredos que me fossem revelados sobre a vida (até aí para mim desconhecida) da Jane Austen pelas biografias Jane Austen: A Life, de Claire Tomalin e Becoming Jane Austen, de Jon Spence. Aqui estão alguma linhas sobre estas duas boas biografias, antes que passe demasiado tempo e me esqueça delas.

O livro de CT é a biografia de jane Austen, muito completa, cheia de pormenores sobre a autora e a sua família próxima e alargada, bem escrita, procurando ver nos materiais que sobram da família Austen o que na vida de Jane – que um sobrinho classificou de an uneventful life – deu origem às suas histórias românticas, de mulheres seguras das suas ideias e capazes de enfrentarem provações com espírito, com tanto conhecimento da natureza humana e da sua mesquinhez. A tarefa é hercúlea, já que a irmã Cassandra, depois da morte de Jane, destruiu quase a totalidade da sua correspondência (é uma falha das duas biografias não procurarem causas para este comportamento). Perdemos, assim, a oportunidade de conhecermos Jane by herself (para além dos livros, claro, que revelam muito de Jane). É surpreendente, no entanto, o que Tomalin conseguiu desenterrar e como são (bem) valorizados dados sobre Jane como as suas experiências escolares fora de casa ou o seu período de Bath, por exemplo. Este é um bom encontro com JA, percebemos a sua extensa rede de afectos, reconhecemos uma heroína que não teve a sorte das suas protagonistas, mas com o mesmo bom-humor e uma capacidade de pôr o seu génio a render que nenhuma das suas criaturas teve. Tomalin ínclui os livros de JA no seu percurso de vida, ligando o que escreveu ao momento que vivia durante a escrita.

O livro de JS não é tão detalhado, mas é um excelente complemento à anterior biografia. Dedica maior atenção a alguns detalhes (provavelmente muito significativos para Jane) como a relação de Jane com Tom Lefroy e o último encontro de ambos (que não existe em CT). Disputa a amizade de Jane pela cunhada Eliza de la Feullide, apesar de me parecer que tem razão CT neste ponto e que as duas mulheres eram, de facto, amigas. Dá atenção a alguns factos sobre a família de Jane, em especial os relacionados com dinheiro, muito pertinentes numa família em constante aflição e que devem ter ocupado os pensamentos de Jane.

Em suma, duas muito agradáveis biografias – melhor a de Tomalin – que vão ser apreciadas pelos austenmaniacs. Enjoy!

Esta entrada foi publicada em Tranquilizantes. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s