A hipocrisia dos liberais americanos

O que esta campanha presidencial americana está a mostrar, antes de tudo, é que a comunicação social, enquanto se agonia (e bem) com comportamentos e ditos racistas não se incomoda nada em se rebolar em sexismos lamacentos – ou, na fórmula mais antiga, em machismo.

Já a Hillary havia sofrido disto. Mas enfim, a Hillary é democrata. A Sarah Palin é republicana e, para mais, bonita.

Um blogue liberal anónimo insinuou que o quinto filho de Palin (que tem síndrome de Down, o que até é consistente com a idade em que se viveu a gravidez) era, na realidade, neto de Palin. Em resposta a campanha de McCain revelou a gravidez da filha de 17 anos de Sarah Palin. Ora perante esta gravidez – com o que ninguém além dos directamente envolvidos têm algo a ver – um furor se levantou. Afinal Palin seria uma hipócrita por acreditar nos valores familiares e ter esta situação na família (a filha vai ter o filho e casar com o pai do bebé)!!! O que é revelador – e eu espero que seja o reconhecimento da misericórdia divina pelos complacentes – é que a direita evangélica aceita a situação bem e elogia o facto de a gravidez ser levada a termo e são os moralistas liberais que apontam o dedo acusador.

Para piorar ainda mais a situação, agora discute-se se uma mãe de cinco filhos consegue ter carreira política!

Um verdadeiro nojo.

(ler aqui ou aqui)

Refira-se que Obama esteve muito bem nos seus comentários sobre a gravidez da filha de Palin.

Advertisement
Esta entrada foi publicada em Alucinógenos. ligação permanente.

4 respostas a A hipocrisia dos liberais americanos

  1. maverick47 diz:

    A questão, a meu ver, é que Palin advoga para os adolescentes a mais fundamentalista das formas de contracepção – a abstinência. A gravidez da filha dela não me incomoda, é uma questão pessoal (o que não se respeita muito nos EUA…). Mas é certo que faz ver que o limbo da assexualidade juvenil é uma impossibilidade.

    Tem toda a razão quanto ao machismo, e isso vem de Obama. Desde as primárias que a campanha dele tem vindo a ser acusada de explorar esse filão de preconceito.
    Mas é também símbolo do sentimento de impotência que a nomeação de Palin provoca – quando não se tem resposta, desce-se de nível.

  2. Carmex diz:

    Maverick (este nick tem alguma coisa a ver com o McCain?), o que me parece é que as opiniões da Mãe não obrigam a filha, que é um ser livre e, provavelmente, como todos os adolescentes, rebelde. Acho que diz mais da educação que lhe foi dada o facto de a filha ir ter a criança em vez de abortar e ter decidido casar com o pai da criança.

    Quanto ao resto, concordo.

  3. maverick47 diz:

    O que eu digo é que o caso pessoal dela prova que a ideia da abstinência é uma impossibilidade.
    Quanto ao nickname, não é esse o motivo, mas é uma coincidência interessante, sim. Até porque as últimas semanas têm feito a minha balança pender inexoravelmente para McCain.
    (também não tenho 47 anos..)

    Cumprimentos, Pedro

  4. Carmex diz:

    Sim, Pedro, tb acho que uma educação sexual eficaz não se deve ficar pela promoção da abstinência. Até para estarem preparados para o caso de não resistirem à tentação e quebrarem a abstinência.

    Cumps.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s