TAP

Quando o Gen. Humberto Delgado jogava pelo clube da casa, e na sua qualidade de director do Secretariado da Aviação Civil, decidiu num dia solarengo (estas coisas não acontecem em dias de chuva ou tempo encoberto, quebra logo o espírito da coisa) criar os Transportes Aéreos Portugueses. Reza a história que o tal dia de sol foi o 14 de Março de 1945 (no resto da Europa e no Pacífico estava uma neblina persistente).

Nasceu torta. Foi preciso mais de um ano para operar a primeira linha comercial, Lisboa-Madrid, em 19 de Setembro de 1946, e como tudo o que nasce torto, diz o povo, jamais se endireita, no caso da TAP a coisa ainda pareceu que se reabilitaria. Afinal tornou-se mais que uma empresa ou corporação, foi uma bandeira, que nos idos representava o esplendor (perdido) da nação. O paradigma eram as hospedeiras: eram todas novinhas e bonitas (e eventualmente prendadas e coquetes). Hoje são todas apenas bonitas (todas as mulheres são bonitas).

Mas teria inevitavelmente a TAP de cair, porque nasceu torta, e agora vem o Governo admitir que “a TAP não resistirá a uma nova crise“. Desdenhando o fatalismo, mais um sinal inequívoco que perdemos definitivamente a inocência. Em tão pouco tempo, afinal. Ontem era uma bandeira; hoje é uma relíquia.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Ansiolíticos. ligação permanente.

5 respostas a TAP

  1. Borostyrol diz:

    É verdade que é uma reliquia, mas sem a qual o turismo nacional não pode viver sem.

    A privatização da TAP ainda não foi feita, não por falta de vontade do Governo, mas porque não existem candidatos para a comprarem.

    Enfim, é o que temos…

    • ventilan diz:

      O que eu quis realçar foi o desnorte político da questão, durante anos a fio andou-se a brincar às empresas, e deu nisto. Toda a gente já se apercebeu da morte anunciada enquanto companhia independente. Restará a fusão com outra companhia qualquer ou então um novo dimensionamento, ficando muito perto de uma linha regional. Deixámos definhar a TAP.

    • Maria João Marques diz:

      Se cobrarem o que de facto a TAP vale (e isso exclui cobrar pelo orgulho nacional), provavelmente, em tempos de expansão económica, teriam tido compradores. Mas claro que os socialistas de todos os partidos que nos governam preferem esperar até que a TAP esteja à beira da implosão e quando o mercado não está bom para aventuras, tendo agora que se vender a TAP a preço de liquidação total.

  2. JMG diz:

    “todas as mulheres são bonitas” é uma regra nova para mim, embora Deus me livre de discordar. Mas isto só confirma o meu persistente azar: três das excepções à regra trabalham precisamente no meu escritório. E só são quatro.

    • ventilan diz:

      Caro JMG, já descobri há algum tempo que, sendo verdade que todas as mulheres são bonitas, também não é menos verdade que essa beleza está por vezes muito escondida. Agora, 75% de camufladas é realmente muito azar.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s