Memória

Eu sou, temporalmente falando, um filho de Abril. Nascido poucos meses antes do 25 do dito mês de 1974, conta-me a minha mãe que, talvez fruto da propaganda radialista que inundava as casas de família, a minha primeira palavra não foi “mãe”, nem “pai”, nem tão pouco seria esperado que verberasse “liberdade” ou “cravo”. A primeirinha palavra que saiu de tão inocente boca foi “pê-cê-pê”. Como é bom termos uma mãe que se lembra, e nos lembra, destas coisas…

Esta entrada foi publicada em Antianémicos. ligação permanente.

Uma resposta a Memória

  1. agfernandes diz:

    Só mesmo o André para nos animar a manhã!
    Por momentos pensei que fosse o “povo” ou “unido”, traduzido para bébé: “pov”, “uni”. E com a mãozinha no ar também!
    Ana

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s