A cultura da amabilidade

Gosto de lhe chamar assim, cultura da amabilidade, à cultura baseada no respeito mútuo, a melhor base da convivência e da organização de uma sociedade.

André Abrantes Amaral refere esta cultura em Cortesia, n´O Insurgente, a propósito da atitude dos japoneses perante uma tragédia desta dimensão. O povo japonês já me tinha surpreendido diversas vezes, uma delas depois da tragédia de Kobe. Trata-se de um exemplo para outros países e culturas, de uma forma de viver em comunidade que torna agradável a convivência. Mas mais do que isso: é a melhor forma de uma sociedade se organizar, equilibrada e próspera.

Os nossos olhos estão, pois, postos no Japão. Desejamos ansiosamente que a situação fique controlada, que as fugas de radiações sejam finalmente controladas. A situação pareceu-nos de facto muito grave quando vimos o Imperador a dirigir-se ao povo. Este elemento estruturante é fundamental: há uma voz que os une, uma presença, um símbolo de unidade e coesão.

E no entanto, também aqui, neste país tão avançado tecnologicamente, os políticos falharam ao omitir às populações informação importante sobre os riscos destas instalações. Este pormenor parece-me interessante: os políticos assemelham-se em todo o lado.

O respeito pelos outros está sempre ligado ao respeito por si próprio. Quem se respeita a si próprio respeita o seu semelhante. Terá de se começar por aí.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Antipiréticos, Vacinas. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s