Bicos de Bunsen 2012 Figura Nacional do Ano: Vítor Gaspar e Artur Baptista da Silva

bico-bunsen4

Atrasado e com as mais humildes desculpas aos clientes aqui da casa por não ter publicado ontem a bula que me cabia, o BB 2012 para a Figura Nacional do Ano foi atribuído a duas figuras que são todo um monumento: Vítor Gaspar (que em muitos lares nacionais provocou o desfazer da tríade de reis magos nos presépios) e Artur Baptista da Silva.

vitor_gaspar_not_2

Pedro Passos Coelho afirmou há uns dias que Vítor Gaspar era o número dois do governo e Paulo Portas o terceiro, redundando que era ele Pedro Passos Coelho quem tinha a última palavra sobre todos os assuntos. Errado. Desde a tomada de posse do atual elenco se percebeu que o homem de força que tudo decide e manobra, por incumbência dos nossos credores, é Vítor Gaspar, educado nas mais altas instâncias internacionais financeiras. Sobre ele se depositaram as mais fortes esperanças de muitos – eu incluído – de que era desta. Era desta que Portugal mudava de rumo, reformando o Estado sugador de riqueza e aprendendo a viver com o que tem. Era desta que a parasitagem dos so called liberais cujos egos e empresas só sabem viver na sombra do Estado munificiente se arredavam  – ou melhor, eram arredados – em prol de um sistema realmente distributivo. Enfim, depois do bater no fundo com a culminação de José Sócrates, melhores dias viriam, mesmo assumindo e aceitando que todos ficaríamos mais pobres.

O ano que finda, de tudo o que se esperava, deu-nos apenas as nove últimas palavras da última linha do parágrafo anterior. Tudo o resto, até agora (ainda retenho uma réstia de esperança que um momento de inflexão se avizinhe), falhou clamorosamente. Nem sequer a mensagem passou. E este falhanço tem uma cara, um rosto. É de todos nós enquanto portugueses, mas é especialmente do homem do leme que, ao contrário daquele que fazia a vontade de El-Rei D. João Segundo, ninguém já consegue perceber por quem nem por onde vai.

 artur-baptista-da-silva---alegado-especialist6661c127_400x225

O segundo nomeado do ano, Artur Baptista da Silva, é também um rosto de uma realidade: o jornalismo nacional é uma anedota. Basta ler isto. Está lá tudo, mesmo que nos comovamos com falhanços profissionais inadmissíveis ao fim de 32 anos de jornalismo.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Bicos de Bunsen. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s