Sensibilidade e bom senso

Sendo eu mãe – e gostando de ser, e dedicando muito tempo a praticar e a preparar-me para a prática – estou sempre atenta ao que se vai escrevendo desta temática. Sobretudo nos Estados Unidos que, como se sabe, é a pátria de todos os maluquinhos extremistas em todas as áreas do conhecimento e, inevitavelmente, nas teorias – e nas práticas – sobre como se deve educar a criançada. A última polémica gira em torno de um extracto publicado no Wall Street Journal sobre um livro de Amy Chua (sino-americana de segunda geração e professora da Yale Law School) onde conta como educou as suas filhas the chinese way – ainda que nem todas as chinesas concordem com a caracterização. A saber: regras rígidas, exigência máxima, total desatenção às personalidades e desejos das crianças e adolescentes, tudo misturado com alguma crueldade. O escândalo e o repúdio foram imediatos, desde logo na comunidade chinesa dos Estados Unidos, que não se reviu em métodos tão crús. Nem sequer apaziguados pelas nuances introduzidas pela própria Amy Chua ou pelas más figuras que os pais excessivamente permissivos também fazem. Isto dito, e estando eu a procurar o meu caminho, se as regras (com lógica e senso) são benéficas, se não se pode deixar uma criança de dez anos a tomar as decisões sobre a sua vida, se se deve deixar claro que o esforço e o mérito são valores a cultivar, há que reconhecer que uma boa auto-estima também é essencial para o sucesso – e para a felicidade! – e que nunca me veria  a atentar contra a individualidade dos meus filhos. Além de que espero criar pessoas com espírito crítico e opinativas, características a usar, preferencialmente, com compaixão.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Puericultura. ligação permanente.

3 respostas a Sensibilidade e bom senso

  1. Mr. Brown diz:

    Pelo que tenho lido a polémica é excessiva (com efeito positivo no volume de vendas do livro) e a obra de Chua, se avaliada pelo que pretende ser, não é tão má quanto isso. Mas, quanto mais não fosse, o artigo do WSJ já valeu por esta paródia: Why Chinese Girlfriends Are Superior

    http://shanghaishiok.com/2011/01/14/why-chinese-girlfriends-are-superior/

  2. Pingback: O araque das tiger mothers « Farmácia Central

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s